Translate

domingo, 1 de julho de 2012

De degrau em degrau


De degrau em degrau se sobe a vida e se desce à morte. 
Uns degraus são gastos e suaves e nem os sentimos

Outros são ásperos e rompem-nos os pés e o coração

Mas não há como escapar

Há que saber subir e aprender a descer

As escadas que nos foram destinadas...


Enviar um comentário